segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

CARNAVAL À VISTA!!!

Objetivos:
★Estimular o interesse por culturas e costumes diferentes;
★ Desenvolver a compreensão histórica e geografia;
★ Despertar o gosto pela pesquisa;
★ Evidenciar a pluralidade cultural existente.

Faixa etária: a partir do 3º ano.


    No começo do ano, o que mais se destaca é essa festa feita de samba, desfiles, alegorias, trios elétricos, frevo e até galo da madrugada. Mas, isso tudo, dependendo da região onde vivem, as crianças já conhecem. Então, que tal inovar, apresentando o carnaval de Veneza (Itália), que é diferente em estilo, ritmo e espírito de qualquer outro carnaval do mundo? De forma interdisciplinar, o tema rende uma verdadeira aventura pela história, geografia, meio ambiente e até pela pluralidade cultural.

Uma celebração de elite 


   Em Veneza, o carnaval surgiu graças à elite intelectualizada e hedonística. As fantasias e as famosas máscaras venezianas inspiram-se na elegância e bom gosto dos trajes dos séculos XVII e XVIII, ou nas personagens da Commedia Dell´Arte, em que figuram os conhecidos pierrôs, colombinas e polichinelos. 

   Por volta do século XI, a festa chegava a durar até seis meses e o uso de máscaras encobria de pequenos furtos até homicídios. Então, no início do século XVII, as autoridades proibiram o uso das mesmas, na tentativa de preservar a tranquilidade social. 

   Dois séculos depois, a festa quase que deixou de existir. Mas, em 1980, ao ser encorajada pelas autoridades, ela se revigorou e hoje atrai cerca de 100 mil pessoas que, apesar do frio e da ameaça das marés altas, que frequentemente inundam a Praça de São Marcos, concentram-se na cidade a fim de admirar o luxo das fantasias e das máscaras. Em paralelo, nas belas mansões e palácios do Gran Canale, ocorrem luxuosos bailes, regados a champanhe e animados por grandes orquestras. A alta sociedade internacional se veste com trajes inspirados nas óperas de Verdi, para dançar valsa, tarantela e até mesmo o samba. O povo, por sua vez, diverte-se de maneira bem mais desinibida, incluindo as crianças que brincam em grupo, com fantasias bem coloridas.


O trabalho a partir da apresentação do texto:

Para facilitar o aprendizado, em paralelo a leitura do texto, mostre fotos do carnaval de Veneza, da própria cidade e de seus canais.

★ Depois, peça para a criançada estabelecer, verbalmente, em forma de texto ou em cartazes, as diferenças e semelhanças entre o carnaval brasileiro e o de Veneza, a partir da origem da festa, das vestimentas usadas, das pessoas que se divertem, do clima, dos ritmos que são executados, entre outros detalhes que elas mesmas irão apontar. 

★ De forma interdisciplinar, na aula de historia, sugira pesquisas sobre a origem do carnaval brasileiro e dos diferentes tipos de festas que ocorrem nas mais variadas regiões do nosso país. 

★ Na aula de geografia, a partir de um atlas ou mapa mundi, peça que localizam Veneza e tracem um paralelo com suas respectivas cidades ou locais em que ocorrem festas de carnaval em solo brasileiro, evidenciando peculiaridades de cada uma delas. 

★ Em relação ao meio ambiente, questione o porquê do frio e da ameaça das marés altas que frequentemente inundam a Praça de São Marcos durante o carnaval, em contraposição ao clima do Brasil, com o objetivo de fazê-las perceberem como as estações do ano diferem entre os hemisférios. 

★ Considerando o contexto histórico de cada carnaval, peça que tracem um paralelo com a violência que ocorria em Veneza no passado e a que acontece nas festas brasileiras. 

★ Por último, para trabalhar a pluralidade cultural, sugira que transponham o carnaval de Veneza para terras brasileiras, observando todas as possibilidades e impossibilidades em termos de costumes e valores sociais.


Crie uma máscara veneziana: Abaixo seguem alguns modelos de máscaras que poderão ser confeccionadas pelas crianças.
A atividade poderá ser encerrada com a realização de um Baile de Máscaras em sala de aula.



Fonte: Guia Prático para Professores de Ensino Fundamental- Anos Iniciais

Nenhum comentário:

Postar um comentário