terça-feira, 3 de dezembro de 2013

MALETA DA LEITURA

A Maleta da Leitura pode ser abordada como projeto ou como atividade permanente na sala de aula, tratando-se de uma prática extremamente significativa no processo de alfabetização e letramento.

As histórias estão presentes em nossa cultura há muito tempo e o hábito de contá-las e ouvi-las tem inúmeros significados. Está relacionado ao cuidado afetivo, à construção da identidade, ao desenvolvimento da imaginação, à capacidade de ouvir o outro e à de se expressar. Além disso, a leitura de histórias aproxima a criança do universo letrado e colabora para a democratização de um de nossos mais valiosos patrimônios culturais: a escrita.

Por isso, é importante favorecermos a familiaridade das crianças com as histórias e a ampliação de seu repertório. Isso só é possível por meio do contato regular dos pequenos com os textos, desde cedo, e de sua participação frequente em situações diversas de conto e leitura. Sabe-se que os professores são os principais agentes na promoção dessa prática – e a escola, o principal espaço para isso.

Objetivos:
  • Proporcionar situações de leitura compartilhada para que desenvolvam a oralidade e saibam expressar-se perante o grupo.
  • Interagir com o universo escrito e seus portadores textuais para que possam possam manuseá-los, reparar na beleza das imagens, relacionar texto e ilustração, manifestar sentimentos, experiências, idéias e opiniões, definindo preferências e construindo critérios próprios para selecionar o que vão ler.
  • Construir o hábito de ouvir e sentir prazer nas situações que envolvem a leitura de histórias.



Metodologia básica:


Haverá uma sacola com diferentes livros de histórias e um caderno de registros. Os alunos, que serão sorteados, levarão a sacola para casa, permanecendo com esta por uma semana.

O aluno poderá ler um ou mais livros da sacola e depois fazer um registro no caderno, que poderá ser através da escrita, de desenhos, montagem, colagem ou alguma outra forma criativa que ele preferir. Depois, na sala de aula, o aluno poderá apresentar para os colegas o livro que leu e o seu registro. Também poderá ser apresentado na forma teatral, se o aluno quiser.

É possível também realizar o registro da leitura através de Fichas de Leitura enviadas junto à maleta.


ALGUNS MODELOS DE MALETA DA LEITURA

Podem ser confeccionadas com EVA, tecido, TNT, caixas de papelão, pastas prontas. Basta usar a criatividade e enfeitá-las com capricho.







Fontes das imagens:

http://bookcrossingdeblumenauoficial.blogspot.com.br/2010/09/mediacao-da-leitura-e-pesquisa_03.html

http://bruniarteva.blogspot.com.br/2012/01/maleta-de-leitura.html

http://mundinhodaeducacaoinfantil.blogspot.com.br/2012/08/maleta-da-leitura.html

http://alfabetizacaocefaproponteselacerda.blogspot.com.br/2013/01/maleta-de-historias.html



Outra sugestão para a Maleta da Leitura, envolve reconto de histórias com fantoches:

Com o objetivo de incentivar a leitura, a “maleta da leitura”, conhecida por muitos, em que o aluno a leva para casa contendo um livro para lerem, poderá conter também personagens de um Clássico ou Fábula Infantil. 

A cada dia um aluno leva a maleta para casa e ele próprio conta para sua família a história contida na maleta. 

Esses mesmos personagens poderão ser utilizados em sala de aula para realizar a Hora do Conto com as crianças.


Procedimento:
1. Estenda o tapete de história (TNT) no chão e peça para todos se sentarem ao redor dele. 
2. Conforme a contação da história, coloque os personagem nela. Ex.: Era uma vez, em uma floresta ... 
Na floresta existe o quê? Árvores. Então, coloque-as sobre o tapete. Coloque matinhos – em E.V.A. – sobre o tapete.
3. Para que esse momento se torne mágico, o professor deverá se envolver e fazer novas descobertas em conjuntos com os alunos. 
4. Em um pedaço de tecido, os alunos viajarão pelo mundo da imaginação ouvindo a história contada pela professora.

Dicas importantes na Hora do Conto:
- As crianças devem estar devidamente acomodadas; 
- Utilizar técnicas de código do silêncio; 
- Antes de começar a história, você pode aguçar o interesse e a curiosidade da criança; 
- Sentir, ou melhor, viver a história. A história deve despertar a sensibilidade de quem conta; 
- Narrar com naturalidade e com clareza, vivenciar o que está sendo narrado; 
- Conhecer a história, o contador tem que estar seguro, isto é, tem que conhecer o texto; 
- Dominar o interesse do público. Buscar formas para que o ouvinte permaneça concentrado na história; 
- Não esconda palavras difíceis. Se o ouvinte tiver dúvidas, ele perguntará; 
- Cuidado com a postura e os vícios da linguagem (Né?; Aí, sabe?; Então?);
- Quando for utilizar um material ilustrativo ou outro acessório, é importante saber a sequência correta dos acontecimentos; 
- Se der branco, continue. Não faça caretas, use a criatividade e improvise; 
- Não se esqueça de olhar para todos, passe a emoção por meio do olhar; 
- Evitar descrições longas; 
- Se a história for lida, a narrativa deve ser tão animada como se fosse contada; 
- Chegar ao desfecho sem apontar a moral da história; 
- Não obrigue a criança a ouvir a história que ela não quer; 
- Cuidado! Ao adaptar uma história, não modifique a estrutura essencial.

Adaptado de:  Revista Guia para Professores de Educação Infantil

Nenhum comentário:

Postar um comentário