sexta-feira, 24 de abril de 2009

POEMA: A CIGARRA E A FORMIGA


INSTRUMENTALIZAÇÃO

  • Sentar-se em círculo com as crianças e ler expressivamente o poema escrito em um cartaz.
  • Dialogar com as crianças através dos seguintes questionamentos orais:
a) O que acharam da historinha?
b) Quais características podemos perceber na formiga? E na cigarra?
c) A cigarra agiu bem, não se preparando para o inverno?
d) A formiga era feliz, trabalhando o tempo todo?
e) Quais foram às conseqüências das atitudes dos personagens?
f) O que acharam da atitude da formiga de receber a cigarra em sua casa. Que sentimento a levou a tomar tal medida? Eles fariam o mesmo? Por quê?
g) Por que, na fábula, a cigarra é vista como alguém que não trabalha? Afinal, o que ela faz é trabalho ou não? O que é trabalhar?
h) O trabalho é necessário, na vida? Ele pode ser ruim ou gostoso? Do que isto depende?
i) Será que outros seres na Natureza trabalham? Como seria o mundo, se ninguém trabalhasse?


  • Ampliar a discussão sobre a história:
   Ajudá-los a ver que a formiga, no início, era mal-humorada, amarga e grosseira com a cigarra; por sua vez, este era alegre, despreocupado, imprudente, imprevidente e nenhum pouco trabalhadora. Com sua atitude, a cigarra não se preparou para o inverno e, quando este chegou, ficou com frio e fome. Comentar com eles que assim acontece também em nossas vidas. Se não nos preparamos para o futuro, ele nos surpreende com inúmeras dificuldades. Se não estudamos direito, podemos até conseguir nos formar, mas não teremos os conhecimentos que serão necessários para várias coisas que desejarmos fazer, não só relacionadas à consecução de um emprego. Aquele que não estuda desenvolve pouco sua inteligência e se vê diante de grandes problemas, porque não consegue compreender bem as coisas, acaba tomando decisões erradas por falta de conhecimento e pode ser enganado com certa facilidade. Se, no estudo, agimos como a cigarra em relação ao trabalho, acabamos por atrair a antipatia de outras pessoas, como o nosso personagem cantor diante da formiga.

   A formiga trabalhava o tempo todo, para se preparar para o inverno, que pode ser entendido como os momentos difíceis da vida. Quando chegou o frio, ela tinha acumulado mais do que necessitava. Com tanto trabalho, a formiga não tinha tempo para qualquer lazer, de forma que se irritava com a despreocupação da cigarra. Há pessoas que trabalham ou estudam em excesso. Essas, muitas vezes, perdem oportunidades ótimas de aprender muitas lições que a vida tem para nos oferecer. Além disso, acabam ficando cansadas demais e, por conseqüência, mal-humoradas.

   Tentar levá-los à conclusão de que tudo que é exagerado não é positivo. A cigarra era exageradamente despreocupada, enquanto a formiga tinha um excessivo sentimento de obrigação em relação ao trabalho. Ambos acabaram sofrendo as conseqüências de sua forma de agir. Se a formiga reservasse uma pequena parte de seu dia para ouvir música ou ter outro lazer, seria, certamente, mais bem-humorada, mais alegre; se a cigarra cantasse menos e tirasse uma boa parte do seu dia para trabalhar, não encontraria tanto sofrimento na chegada do inverno.

   A formiga aceitou compartilhar um lazer com a cigarra e percebeu como isso lhe fazia bem. Seu novo amigo ajudou a dona da casa com o trabalho, porque talvez já tivesse percebido a necessidade de laborar para viver com dignidade. Na verdade, a questão se resolveu com o equilíbrio: nem tanto lazer, nem tanto trabalho.

   Refletir sobre nosso dia-a-dia. Pedir que cada um diga, resumidamente, quais são suas atividades diárias.    Em seguida, perguntar se acham que estão ocupando o tempo adequado com o estudo, o lazer, o descanso, a convivência com a família, o momento de ficar sozinho, o contato com amigos e com a espiritualização, ou seja, com Deus, Jesus e seus ensinamentos. Comentar que uma aula não nos vale de nada, se não pudermos retirar dela alguma reflexão que possa nos ajudar em nossas vidas, portanto é muito importante que reflitamos sobre a questão acima. Será que estamos vivendo de forma equilibrada, de tal maneira que nosso futuro não apresentará problemas causados por nós mesmos? Será que não estamos nos prejudicando ou a outras pessoas?

   Este é um momento para debate. Ajudá-los a ver que a formiga foi caridosa com o cantor, enquanto este, diante da necessidade, foi obrigado a agir com humildade. A formiga agiu duplamente bem: primeiro, ajudou o outro animal; depois, deixou que ele trabalhasse um pouco em sua casa, para ele perceber que o trabalho é indispensável e todos precisam colaborar. Deus, o criador de tudo, trabalha até hoje, por que nós não trabalharíamos?

2 comentários:

  1. MUITO LEGAL ME AJUDOU MUITO NA ESCOLA MUITO OBRIGADA GIOVANNA

    ResponderExcluir